Nobreak é empregado na proteção dos caixas em supermercados

by

O nobreak impede a perda de dados em caso de falha de energia

É o nobreak o aparelho que te permite continuar passando suas compras no caixa do supermercado quando acaba a energia. Acho que todos já passaram pela situação de fazer suas compras e por uma chuva muito forte, ou por uma sobrecarga, afinal no Brasil tudo pode acontecer, e a rede elétrica deixa de funcionar. O consumidor fica em meio aquele espaço gigantesco, cercado pelos produtos, se sentindo perdido. Mas essa sensação é passageira.

“Todas as grandes redes já estão equipadas com nobreak e geradores de emergência, afinal, nós lidamos com alimentos perecíveis que precisam de refrigeração o tempo todo. Os custos com o gerador não são nada comparados com o que perderíamos em produtos estragados e por não ter estoque para oferecer ao clientes”, diz Erick Dantas, gerente de suporte de uma empresa paulista do ramo.

E o nobreak faz parte dessa estrutura de proteção. Claro, não diretamente ligado aos produtos em si, mas ao sistema que mantém o supermercado funcionando. “O nobreak para nós é fundamental”, afirma Péricles Macedo, subordinado de Erick. “Ele é necessário em toda a área administrativa, de atendimento ao cliente, mas em especial no resguardo dos caixas e servidores, porque em ambos qualquer erro pode render uma lista infinita de problemas, seja um produto com valor errado, ou um processo por sonegação de impostos”, conta Péricles.

Por que o nobreak é tão importante se o supermercado tem um gerador? Qualquer um pode se perguntar. A resposta é simples. O nobreak permite que os aparelhos se mantenham ligados entre aquele curto espaço de tempo entre a interrupção do fornecimento por parte da concessionária de energia e o acionamento do gerador. Ele funciona com uma série de baterias que passam a alimentar os computadores, assim que a rede elétrica falha. Em especial, os modelos on-line em série, que na verdade alimentam o tempo todo os equipamentos com suas baterias, e usam a fonte de energia para recarrega-las.

“Dessa forma, o nobreak auxilia a frente de caixa. É como se não tivesse acontecido nada, se o cliente apenas começou a passar suas compras ou está passando o cartão de crédito, tudo se torna estável”, informa Péricles. “Outro ponto importante é que aquela pequena impressora fiscal, que imprime os cupons, tem outra função pouco conhecida. Ela serve de controle para a secretaria fazenda fazendo um registro de todas as nossas vendas para evitar fraudes, então, não podemos ter erros”, explica Erick.

O nobreak também é fundamental na proteção aos servidores. “No supermercado, todos os preços estão guardados no sistema. Quando a operadora informa o código de barras do produto, o sistema acessa o servidor para verificar o seu valor e adiciona-lo a lista do cliente, sem isso as vendas param. Sem contar as datas de vencimento que ficam cadastradas, e o volume de cada produto, nós só fazemos uma nova compra quando o sistema mostra que o estoque está baixo”, conta Erick. “Da mesma forma que a tecnologia facilita e muito toda a logística, nos tornarmos dependentes dela. Mas a boa notícia é que ela nos dá meios para se manter. E o nobreak é um dos mais engenhosos”, conclui Péricles.